Cerveja artesanal carioca para o mundo


Compartilhar

O mercado cervejeiro carioca não para de crescer. Segundo empresários do ramo, o houve um crescimento de 900% nesse mercado nos últimos 10 anos.

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja, somente nos 11 primeiros meses de 2016, foram produzidos 12,1 bilhões de litros da bebida. Para 2017, a expectativa é que esse número chegue a 14 bilhões.

Mas ainda há muito para crescer, principalmente quando o assunto é cerveja artesanal, que representa, atualmente, apenas 1% desse montante.

Um exemplo disso é a cervejaria OverHop. Criada há um ano, a marca carioca começou suas atividades produzindo cerca de quatro mil litros de cerveja por mês. Atualmente, já são 12 mil litros e até o final do ano a produção deve chegar a 20 mil litros/mês, entre outras razões pela participação em inúmeros eventos cervejeiros que estão previstos para acontecer nos próximos meses.

Ao contrário da trajetória da maioria das cervejarias artesanais, a OverHop começou sua história com a participação no Mondial de la Bière 2016, quando tinha apenas três meses de existência, e, de cara, faturou duas medalhas de ouro no evento. A premiação rendeu visibilidade para a marca e bons negócios, incluindo a participação da cervejaria no Mondial de la Bière no Canadá, que abriu as portas para o mercado canadense.

Hoje a cervejaria inicia seu processo de internacionalização, para produção e distribuição no exterior. Por se tratar de uma cerveja artesanal, feita sem conservantes, a exportação não era viável pois comprometeria a qualidade do produto final que chegaria para o consumidor fora do Brasil.

A primeira parceria internacional, foi um rótulo inédito lançado em colaboração com a Brasserie Harricana, de Montreal. A receita colaborativa tem notas de açaí , framboesa e café e já participou de festivais cervejeiros no Brasil e no Canadá.

Atualmente, a cerveja Hazy e a DarkHop, medalhistas de ouro no Mondial 2016, e a One Love estão sendo produzidas e comercializadas em Ontario e Quebec, em parceria com a Common Good Brewing e a Oshlag. Segundo Rodrigo Baruffaldi, sócio-fundador da OverHop, essas parcerias são fundamentais: “As parcerias com a Commom Good e Oshlag nos possibilitaram entrar no mercado mais cedo, com uma produção em larga escala, incluindo chope e latas”.

Baruffaldi comenta ainda que a meta da cervejaria é transformar o negócio em franquia. “Nosso projeto no Canadá é abrir um modelo de negócios de brewpubs (bares que produzem a própria cerveja). A partir dele pretendemos expandir para outros países, como Portugal, por exemplo.”

Compartilhar