Da Baixada Fluminense para todo o Brasil


Compartilhar

Hugo Leonardo Russel, carioca, 33 anos, é um empreendedor nato. Nascido na Baixada Fluminense, de família humilde, logo cedo aprendeu a importância de dar duro para conseguir alguma coisa na vida. E neste sentido, Hugo fez de tudo um pouco: tentou a carreira de músico e jogador de futebol, trabalhou como atendente em loja de bicicleta e conserto de moto, foi assistente de cobrança, cobrador e motorista de Kombi e motoboy.

Com muito esforço, juntou dinheiro para montar o seu próprio negócio e assim, em 2004, nasceu a Russel Express, empresa de entrega e transporte de documentos e pequenas encomendas. Em pouco tempo, a Russel Express se tornou uma das principais empresas de entregas rápidas do Rio de Janeiro, com filial em Campinas, São Paulo.

Após alguns anos de trabalho e crescimento no mercado, Hugo identificou uma ótima oportunidade de negócio: a dificuldade de muitas empresas em contratarem mão de obra especializada e qualificada. Com isso, tomou a decisão de utilizar todo o seu know how adquirido diante da necessidade de seus clientes e direcionou seu foco, investimentos e equipe em uma nova empreitada, nascendo assim a Russel Serviços, especializada em fornecimento de mão de obra operacional e qualificada, e que atua em diversos segmentos, como construção civil, hotelaria, petróleo e gás, logística, energia, administrativo e varejo, entre outros.

Segundo Hugo, o sucesso veio de sua persistência, sua garra para ser alguém na vida e, principalmente, de sua dificuldade em dizer não. Primeiro, fechava um novo negócio. Depois, corria atrás para atender às crescentes demandas. E foi assim, sem desistir frente aos desafios, que Hugo Leonardo é hoje um empresário muito bem-sucedido.

Ao longo dos 12 anos de atuação no mercado do Rio de Janeiro, a Russel Serviços gerou mais de cinco mil empregos. Segundo Hugo, a Russel tem uma missão social que é a de gerar empregos e, ao mesmo tempo, facilitar os processos de contratação nas organizações. “Nossa meta é empregar 10 mil pessoas em todo o Brasil nos próximos cinco anos”.

Compartilhar