Startup aluga malas de viagem a preços acessíveis


Quando o assunto é criatividade, o talento do brasileiro é insuperável. Para empreender é sempre necessário olhar onde há demanda e oferta de produtos e serviços. Alguém já imaginou ganhar dinheiro alugando malas de viagem? Essa foi a ideia da empresária Tatita Matta, que lançou a Não Compre Mala, startup de tecnologia que trabalha com aluguel de malas de viagem.

O serviço é um modelo personalizado, onde o consumidor escolhe qual o tipo e por quanto tempo vai precisar da mala.

“As pessoas tendem a comprar menos e ‘pegar emprestado’ mais, seguindo uma inclinação cada vez mais comum de economia compartilhada”, afirma Tatita Matta.

A empresa tem sede  no Rio de Janeiro, na Praça da Bandeira, e trabalha exclusivamente com a marca francesa, a Delsey, conhecida na Europa. Dentre os modelos da Delsey, a Não Compre Mala trabalha com os mas rígidos, de policarbonato. Segundo a publicitária e idealizadora do negócio, “é um diferencial por serem mais leves, resistentes e não correrem o risco de quebrar ou amassar a bagagem que estiver dentro”.

A diária do aluguel visa ser acessível para todos os públicos, a partir de R$ 7, de acordo com o pacote contratado. Dentre os modelos disponíveis, estão o famoso Chatelet PMG, o compacto Air Longitude e Flaneur e séries especiais da  Schedule PMG. Todos estão disponíveis em três tamanhos que variam entre malas de bordo e as super grandes. Vale frisar que todas as malas possuem cadeados embutidos e zípers antifurto. O serviço inclui entrega e coleta das malas à domicílio ou os clientes podem escolher pessoalmente suas valises no escritório da empresa.